5 coisas para pensar antes de iniciar uma loja virtual

10/02/2016
Todas as semanas recebemos contatos de pessoas interessadas em iniciar um projeto de loja virtual, porém infelizmente grande parte delas não tem a real dimensão da quantidade de detalhes que precisam ser definidos antes de iniciar um projeto destes, pensando nisso reunimos aqui os principais pontos de atenção que o empreendedor deve levar em conta. Para quem não sabe onde quer chegar qualquer caminho esta correto 1 – Design O primeiro ponto de atenção é relativo ao design que será utilizado na loja, você já possui uma identidade visual? Marca, logo etc? Se sim, isso deve ser levado em conta, se não, quem sabe não é a hora de criar. Nessa questão existem algumas opções, são elas: Criação de um design exclusivo, é a opção de maior custo mas garante que o visual de sua loja será único. Utilização de template, também garante um resultado excelente com uma grande redução de custos no projeto. Replicação do layout atual, essa é uma opção para quem já possui uma loja e pretende apenas migrar de plataforma 2 – Meio de pagamento Como você pretende receber por suas vendas? Nesse quesito as opções são múltiplas, desde a integração direta com os meios de pagamento até a utilização de gateways ou intermediários de pagamento. Não sabe o que fazer? Fale com um especialista. 3 – Frete Normalmente quem inicia no mercado de e-commerce imagina que a única forma de envio de produtos é o serviço dos Correios, pois além desse serviço existem diversas possibilidades de integração com transportadoras dos mais diversos portes, escolha a que for melhor para o seu negócio. 4 – Análise de risco Analisar o perfil dos seus possíveis compradores pode ser vital para sua operação a depender do produto vendido com o objetivo de reduzir assim o “charge-back” e as fraudes em sua loja. É nesse momento que os parceiros de análise de risco são integrados a sua loja virtual para aumentar a sua segurança. 5 – Notas fiscais Venda feita, como emitir as notas fiscais? Chegou a hora de integrar uma solução de emissão de notas fiscais eletrônicas a sua loja, diretamente ou através de uma plataforma de ERP parceira. Bom esses foram apenas 5 pontos principais mais eu poderia listar aqui mais 10 ou 20 muito importantes para o sucesso da sua loja virtual. Por isso consulte sempre um especialista! Até a próxima.

Módulo Bcash Transparente para Opencart

04/08/2015
  Bcash Transparente, meu primeiro produto na Envato Market Places!   Eu já devo ter falado para umas 20 pessoas sobre a minha vontade de trabalhar com Digital Products vendidos exclusivamente via Envato Market Places e como as histórias das pessoas que trabalham por lá tem histórias interessantes, pois bem agora a idéia saiu do papel e estou entrando de cabeça nesse mercado, e vou compartilhar aqui como vai ser a experiência. E hoje estou lançando meu primeiro produto, trata-se de um módulo para integração transparente entre lojas Opencart, que são minha especialidade e o gateway de pagamento Bcash. A integração é bem objetiva e usa a API oficial do Bcash, eu fiz um vídeo para auxiliar na instalação que você pode conferir abaixo: É isso, vamos adiante!  

Confira as novidades do Opencart 2.0

06/01/2015
Já faz algum tempo que o a plataforma Opencart 2.0 se tornou uma ótima opção quando o assunto é a construção de lojas virtuais, seja pela facilidade de utilização, flexibilidade de customização ou pelo grande volume de módulos disponíveis. Porém apesar do sucesso conseguido em seus primeiros anos, a plataforma foi lançada em Abril de 2010, alguns problemas e limitações da ferramenta ainda podiam ser obstáculos para uma maior adoção por parte das lojas.  Com essas melhorias o Opencart se consolida ainda mais como uma ótima opção quando o assunto é e-commerce. Porém este cenário mudou consideravelmente no final de 2014 com o lançamento da versão 2.0 do sistema, que trouxe uma série de correções, melhorias e novidades a tempos pedidos pela comunidade. Listei aqui algumas novidades mais interessantes desta nova versão: Bootstrap Esta nova versão da plataforma é totalmente baseada no framework Bootsrap o que torna o seu código mais legível, rápido e facilmente customizável. Além disso o trabalho de desenvolvimento de módulos e plug-ins se torna muito mais simples. Velocidade Em alguns testes comparativos entre a versão 2.0 e a 1.5 foram verificados ganhos de desempenho da ordem de 50%, isso se deve as melhorias do código tanto em sua construção como na utilização do Bootstrap. Layout responsivo Todos sabemos da importância em disponibilizar uma versão compatível de sua loja com o mundo mobile, e nesta nova versão, esse comportamento já foi colocado como padrão, dessa forma ao utilizar o tema inicial da plataforma sua loja já estará adequada para smartphones. Campos customizáveis Cada loja, segmento ou país possuem regras e necessidades específicas, como é o caso do campo CPF no Brasil. Agora a criação de novos campos no cadastro do usuário não dependem mais de alterações no código da loja e podem ser realizadas diretamente pelo administrador da loja no painel de controle. Gerenciador de módulos Uma grande dificuldade da versão anterior da plataforma estava na instalação de módulos que sempre precisava ser feita por alguém com acesso ao código da loja. Porém a partir de agora os módulos compatíveis podem ser instalados diretamente através do panel de controle com o upload do módulo, em um comportamento similar ao já altamente conhecido sistema de plug-ins do WordPress. No vídeo abaixo, você confere um resumo das novidades e melhorias:   Essas são apenas algumas das novidades, mas existem centenas de melhorias que você pode aproveitar ao utilizar o Opencart 2.0 como plataforma para sua loja virtual. Até a próxima!        

4 pontos para incluir no seu planejamento de Marketing Digital em 2015.

17/12/2014
Confira os pontos que não podem faltar em seu Planejamento de Marketing Digital para o ano que está chegando. Fim de ano chegando, os departamentos de marketing se encontram as voltas com o planejamento de ações para o mundo digital no ano que vai chegar. Pensando nisso, separei quatro temas que devem estar destacados nos planos online das marcas para 2015. 1 – Mobilidade Não é mais futuro, é presente, a relevância do mobile hoje já é uma realidade. Se o site da sua empresa não esta preparado para o mundo mobile, e não é como a Google denomina: “Mobile Friendly”, pode se preparar para piores resultados em SEO e redução nas visitas orgânicas. Não sabe se o seu site é compatível? Utilize a ferramenta da Google para verificar no link: https://www.google.com/webmasters/tools/mobile-friendly 2 – Conteúdo efetivo para Redes Sociais. A entrega de conteúdo nas redes sociais, se tornou um problema para as marcas em 2014, para o próximo ano a dica é: foco na qualidade e não na quantidade de conteúdo. Estratégias segmentadas, direcionadas e com publicações efetivas que tragam valor para a “timeline” do usuário são a receita para melhorar os resultados nas redes sociais. 3 – Relacionamento nas Redes Socias. Acompanhar as conversas nas redes sociais já é parte da estratégia a algum tempo, porém com as novas ferramentas de busca do Facebook, novas oportunidades de comunicação e inserção de produtos e serviços serão abertas. Estar atento as discussões e as necessidades do consumidor, e oferecer vantagens a esse público, pode fazer a diferença nos resultados obtidos através das redes. 4 – Segmentação de público. As ferramentas de segmentação de público para mídia e comunicação tem se tornado cada vez mais avançadas, dessa forma utilizar o online com mensagens sem segmentação, pode ser um erro fatal para o “budget” das marcas. Desta forma uma estratégia que consiga alinhar segmentação, mensagem e design adequados ao público trabalhado em conjunto com soluções de TI como: a utilização de Landing-Pages podem aumentar e muito os resultados das campanhas de mídia.

Facebook ativa a busca por posts. As marcas devem se preocupar?

15/12/2014
Publicações, antes restritas poderão ser potencializadas com nova ferramenta. Em mais uma investida em busca em se tornar mais atraente e útil aos seus usuários a rede social de Mark Zuckerberg, acaba de anunciar a inclusão de posts dos usuários em seus resultados de busca. A novidade intitulada “Facebook Search” pode ser conhecida em detalhes no hot-site especial: http://search.fb.com, lá são explicados os objetivos e regras dessa nova funcionalidade. E as marcas? Precisam se preocupar? Bom, basicamente essa nova funcionalidade pode trazer a tona publicações de usuários que anteriormente ficavam restritas apenas ao seu círculo de amigos. Ou seja, publicações positivas e negativas relacionadas a produtos e serviços poderão ser facilmente encontradas por potenciais clientes e utilizadas na decisão de compra. Para entender a real necessidade de acompanhamento faça uma busca pela sua marca ou produtos e selecione a opção posts. Desafio ou oportunidade? Esse novo cenário, deve ampliar a necessidade de acompanhamento da rede de perto pelas marcas, para que as referências aos seus produtos e serviços, sempre possuam informações verdadeiras e que os clientes tenham o atendimento adequado, tornando o impacto da mensagem positivo.

5 dicas para sua loja Opencart vender mais neste natal.

03/12/2014
Atitudes simples podem melhorar e muitos os resultados de sua loja virtual na época mais concorrida do ano. Passada a euforia, correria, e problemas enfrentados por diversas lojas virtuais na semana do black friday, começam os preparativos para as vendas de natal. Pensando em ajudar os lojistas a vender mais neste natal separamos aqui 5 dicas valiosas que podem aumentar as suas vendas durante a visita do bom velhinho, vamos a elas: 1 – Contextualize o conteúdo, fortalecendo o SEO Utilize o tema natalino ao máximo e crie seleções de produtos específicos como “Presentes de natal para a mamãe”, desta forma você poderá criar conteúdos específicos indexáveis como: “Nós possuimos o presente perfeito para sua mãe como vestidos, bolsas e sapatos ” 2 – Sincronize suas campanhas com o estoque Nada mais frustrante para um usuário do que buscar um produto encontrar sua campanha, clicar e ao chegar ao site encrontrar o produto indisponível. Mantenha uma sincronia constante entre os produtos ativos em campanhas de mídia e o estoque da loja. 3 – Facilite a troca Boa parte das suas vendas serão destinadas a presentes, desta forma a possibilidade e a simplicidade do processo de troca por parte do presenteado pode significar a escolha da sua loja pelo comprador. Tente simplificar esse processo ao máximo e não puna seu cliente. 4 – Entre no clima de Natal! Encontre uma instituição de caridade que você confie e destine parte dos lucros das vendas de natal, essa atitude, pode fortalecer e muito a relação dos seus clientes com a sua marca. 5 – Revise sua infra-estrutura de tecnologia. Boa parte das reclamações de clientes durante a Black Friday ocorreu devido a infra-estrutura de servidores e aplicações mal dimensionadas, resultado em lojas e ofertas indisponíveis para os compradores. Converse com seu fornecedor de TI e garanta que sua loja não vai ficar fora do ar no período mais importante do ano. Soluções em Cloud são ótimas para resolver esse problema.

Facebook reduz entrega de conteúdo mais uma vez

02/12/2014
Novas regras da rede social obriga marcas a buscarem formas inovadoras de abordagem na rede social. Em mais uma investida no sentido de reduzir a entrega de conteúdo promocional não patrocinado aos usuários a rede social de Mark Zuckerberg anunciou no último dia 14 de Novembro que irá reduzir ainda mais a entrega de conteúdo promocional de marcas e páginas. Esse movimento teve início em dezembro de 2013 quando a rede anunciou que iria reduzir a entrega de conteúdo de forma orgânica para os seguidores de páginas, estratégia que vem sendo percebida com a redução significativa do engajamento do público nas postagens de páginas empresariais. Este novo cenário se coloca como um desafio para marcas e agências que precisam encontrar formas inovadoras de abordagem na rede social afim de alcançar melhores resultados para a relação investimento x retorno junto ao público alvo das marcas. Desta forma abordar a utilização da rede como plataforma de mídia digital ao invés de plataforma de distribuição de conteúdo se torna essencial para que as marcas possam comunicar sua mensagem de forma efetiva utilizando a rede como meio e não como fim.  

Code can be magic?

12/11/2014
Hello everyone! Yesterday i’ve started an ambitious personal project, create an full SOA E-commerce platform called Bella. Why it is a big thing? Well, i’ve worked with software development at last 15 year, and i tried a lot of platforms, cmss, erps, e-commerces, and i really learned a lot of things about software engineering, specially on Lamp world. And at last 5 years i’m very focused on e-commerce area, and i could see up close how the popular open source platforms are poor from the point of view of software engineering, usability, and mainly focus on the user business. Because this, i think this can be better, this can be simpler, this can be magic! And i started to create an simple, elegant, faster, and business focused e-commerce platform  called Bella. I know it will not be easy, will not be fast, but i have patience and it will be done. At this time you can checkout the project on github, analyse the Magic Model Data who automatic create columns and filter data on Bella API, and can follow the development of the project. See you later!

O que é Lean Software Development?

29/04/2014
Saiba mais sobre a metodologia LEAN que foi importada dos processos industriais para  o mercado de software. Olá leitores, fazia muito tempo que não publicava um artigo por aqui, porém como precisei escrever uma resenha para o curso de MBA que estou fazendo, aproveitei e adaptei o texto aqui para o blog, sobre um assunto que entendo ser bem relevante e que pretendo discutir com mais detalhes durante os próximos meses, o tópico de hoje é a metodologia Lean, que se encontra na área de métodos ágeis de gestão de projetos. O desenvolvimento de software no modelo Lean, ou (LSD), nada mais é do que uma adaptação da metodologia industrial de mesmo nome (Lean Manufacturing), adequada aos paradigmas do desenvolvimento de software e da realidade de TI, ou seja, este modelo de desenvolvimento se dá com base nas mesmas premissas e características do modelo Lean tradicional. Mas afinal o que é Lean? Lean, pode ser traduzido como enxuto, ou seja manufatura enxuta, é uma metodologia de produção com foco principal na redução de desperdício em sete áreas específicas: super-produção, tempo de espera, transporte, excesso de processamento, inventário, movimento defeitos Além do foco na redução do desperdício nestas áreas o Lean Manufacturing tem como pontos chave: qualidade total e imediata, melhoria contínua, processos pull e flexibilidade. De onde surgiu o conceito? Tendo como objetivo o aumento de produtividade, redução de desperdício e aumento da qualidade dos produtos essa metodologia foi desenvolvida inicialmente Toyota nos anos 90 partindo dos pilares da metodologia JIT (Just in Time) e da automação inteligente. Esse conceito se confunde a tal ponto com a história da Toyota que a metodologia por vezes é chamada de Toyota Dna ou Sistema Toyota de Produção. Mas como esse conceito foi aplicado ao desenvolvimento de software? O termo Lean Software Development foi utilizado por Mary Poppendieck e Tom Poppendieck em livro de mesmo nome que apresenta os conceitos de Lean aplicados ao desenvolvimento de software, neste livro são discutidas 22 ferramentas e são comparadas as metodologias ágeis. Os autores defendem os seguintes paradigmas para o desenvolvimento de software: Eliminar perdas Ampliar o conhecimento e estudo Decidir o mais cedo possível Entregar o mais rápido possível Aumentar o poder do time Aumentar a integridade do software Ver o software como um todo Cada um destes conceitos apesar de possuir correlação os paradigmas originais da metodologia Lean, são minuciosamente detalhados pelos autores através de ferramentas, processos e ações que permitem a equipe atingir os resultados propostos pela metodologia. Porém Lean necessita de uma mudança de cultura e hábitos da companhia e seus membros para que esta possa desfrutar dos ganhos que os processos enxutos podem trazer. Concluindo… Apesar de ter surgido de um conceito industrial, as idéias centrais da metodologia Lean pode ser aplicada aos processos de desenvolvimento de software conseguindo desta maneira ampliar os resultados alcançados reduzindo os desperdícios e aumentando a qualidade de forma consistente.

How to activate vQmod on Opencart?

21/04/2014
Know how can you install vQmod on your Opencart Store, the first step to use the best modules developed to the e-commerce system. Hello everyone, at last few years a big part of my time was spend developing and holding e-commerce projects with Opencart platform, and still of their problems, has been quite reliable for medium-sized projects. On this tutorial, i will explain step by step what you have to do to activate vQmod system on your Opencart Store and use hundred of plugins who were built ahead this system If you alread have doubts about how this works with Opencart, ready the article: “How VQmod works on Opencart?” Its time to install! Step 1: Download the most recent vQmod package in this link: https://code.google.com/p/vqmod/downloads/list Step 2: Unzip  the package content on the root folder of your application, creating an vqmod folder on the application root, like the image below: Step 3: You need to make write permissions on the following files: yourstore/index.php yourstore/admin/index.php yourstore/vqmod/mods.cache yourstore/vqmod/vqcache yourstore/vqmod/logs Step 4: Access on web browser the address yourstore.com.br/vqmod/install If everything was OK, you will receive an success message, and otherwise a warning to give permission for any file that has been lacking. After the install will can start to use modules and extension who need this system, for that you nesse to put the xml file on yourstore/vqmod/xml Thats it! Easy an simple! Until the next!  

How Vqmod works with Opencart?

12/02/2014
Know about how Vqmod works in Opencart platform and how they will make better the platform customisation process Hello people, today is day of hands os in this blog, and i will continue the posts serie about Opencart Platform and and as I promised, today i will explain how VQmod works and how they make your life better! What is VQmod? Conceptually it is an simple idea: you make small patches for platform php core system files, tracing what and when this will be changed, and defining if is an REPLACE or one INSERT of code. After that, VQMOD will change the original PHP file on execution time, applying your patch and creating a new version of this file on the CACHE folder and indicate to APACHE to read this folder instead the original folder. Why use VQmod on Opencart? Unfortunately Opencart does not have an good update and customisation system, because that every time we need to update system the only way to do that is copying the new files overwriting the old files and doing that many improvements and customisations are lost. It is precisely to improve this scenario that the VQmod works to encapsulate and separate your own customisations and improvements, allowing quietest updates on the system. How to install VQmod on Opencart? The process is quite simple, first download the package here, unzip on main system folder, after that access the install folder from any browser. You will need to do some permission on the Cache folder and the Mods.cache file. After that everything will be fine, and you can start to create your own XML files I hope I have helped, until the next!

Linguagens, Frameworks e Plataformas quem é quem?

25/11/2013
Saiba um pouco mais sobre essas definições e conheça quem é quem nesse universo. Bom dia pessoal, vez por outra me pego conversando com alguém sobre esse assunto e tentando explicar a diferença entre linguagens, frameworks e plataforma, seu apara amigos, clientes ou usuários do blog. Por esse motivo, nesse post vou tentar esclarecer um pouco mais esse assunto que confunde tanta gente. Hierarquia O primeiro ponto que precisamos entender é a hierarquia, linguagens, frameworks e plataformas estão, nessa sequência, em níveis hierárquicos diferentes, aqui a regra de ouro é entender que: Linguagens constroem frameworks e frameworks constroem plataformas, simples assim como na figura abaixo. Linguagens As linguagens de programação são a base dos frameworks, e nesse ponto, creio que existam poucas dúvidas sobre o que é uma linguagem de programação, mas vamos a definição. Linguagem de programação é um conjunto de regras e sintaxes capazes de em conjunto criar uma solução de software. Como exemplo temos, PHP, ASP, C#, JAVA, Python, Ruby, e aqui é importante frisar que não citei o HTML, justamente por que ele não é uma linguagem de programação e sim uma linguagem de marcação. Frameworks Antes, de falar dos frameworks, é interessante entender a sua origem. Durante o processo de desenvolvimento de software diversas vezes caímos em situações repetitivas e que ja foram resolvidas anteriormente, por você ou por outros programadores, e é nesse prisma que surgem os frameworks, com o objetivo de agregar funcionalidades que já foram desenvolvidas anteriormente e disponibilizar ao desenvolvedor. De forma simples, você pode entender um framework como uma caixa de ferramentas que o desenvolvedor tem a disposição para criar uma solução, nessa linha temos por exemplo: Zend, Rails, .Net, Struts. Veja na tabela abaixo os mais comuns: Plataforma Por fim chegamos as plataformas, que são em última instância, software, funcional, instalado e passível de utilização por usuários finais, não desenvolvedores. Nessa categoria temos diversas sub-categorias de plataforma, como, CMS, Erp, E-commerce, etc… É nesse momento que surgem, Drupal, WordPress, Joomla, Plone, Magento, Opencart dentre outros. Um bom resumo disso é: o Php, constrói o Zend Framework, que por sua vez, constrói o Magento e-commerce, simples assim! Até a próxima!

Como ativar o Vqmod no Opencart?

14/10/2013
Saiba como ativar o VQmod em sua loja Opencart, pré-requisito indispensável para os melhores módulos e plugins criados para a plataforma. Olá pessoal, nos últimos anos tenho passado boa parte do meu tempo implantando e mantendo projetos de comércio eletrônico sob a plataforma Opencart, que apesar de seus defeitos tem se mostrado bem confiável para projetos de médio porte.  Neste turorial vou explicar o passo a passo que você deve seguir para ativar o Vqmod (sistema de alteração virtual de scripts)  em sua loja Opencart e assim poder utilizar centenas de módulos e plugins que foram criados para a plataforma em cima desse sistema. Se você ainda tem dúvidas sobre o que é e como funciona o Vqmod, leia esse outro artigo: “Como funciona o VQmod no Opencart?” Vamos a instalação? Passo 1: Faça o download do pacote mais atualizado no link: https://code.google.com/p/vqmod/downloads/list Passo 2: Descompacte o conteúdo no pacote na raíz de sua aplicação, criando assim uma pasta chamada vqmod na raiz do seu sistema, assim como esta na imagem abaixo: Passo 3: Você precisa dar permissão de escrita nos seguintes arquivos: sualoja/index.php sualoja/admin/index.php sualoja/vqmod/mods.cache sualoja/vqmod/vqcache sualoja/vqmod/logs Passo 4: Acesse via browser o endereço sualoja.com.br/vqmod/install Caso tenha ocorrido tudo certo, você receberá uma mensagem de sucesso, e caso contrário um alerta para dar permissão em algum arquivo que tenha faltado. Após a instalação basta começar a utilizar os módulos e extensões que necessitam do Vqmod instalado, para isso, basta adicionar o xml do módulo na pasta: sualoja/vqmod/xml É isso, simples e prático! Até a próxima  

O que é desenvolvimento de software iterativo?

24/09/2013
Saiba o que significa desenvolvimento iterativo e como ele pode lhe ajudar a entregar software com qualidade e dentro dos prazos Bom dia pessoal, hoje é terça-feira, e vou iniciar uma nova série de posts aqui no blog que tem como tema engenharia de software, assunto que pretendo estudar bastante nos próximos meses e pretendo compartilhar o que aprender aqui nestes espaço. Basicamente, segundo a definição de Margaret Rouse, desenvolvimento iterativo é uma forma de “quebrar” o desenvolvimento de uma grande aplicação em pequenos pedaços de software. No desenvolvimento iterativo, cada ciclo de desenvolvimento deve contemplar: Levantamento de requisitos Análise a arquitetura da solução Implementação Testes Distribuição Abaixo você pode ver uma abordagem visual do conceito proposto pelo RUP: O produto de cada iteração apesar de incompleto do ponto de vista visual e de integração deve permitir seu uso total e testes pelo usuário final mantendo qualidade de produto final. Cada nova iteração de incluir novas funcionalidades as iterações anteriores, ampliando desta forma o escopo da solução. Normalmente o desenvolvimento iterativo é usado em conjunto com uma metodologia Agil de desenvolvimento que irá controlar o escopo da implementação daquela iteração. De forma geral cada iteração ou ciclo tem um período e escopo curtos que giram em torno de duas semanas e ao seu final deve gerar código funcional que dever ser demonstrado e validado pelo cliente. O desenvolvimento iterativo contrasta com o modelo tradicional de desenvolvimento de software baseado em cascata e que envolve o usuário final apenas nas etapas inicial, durante o levantamento de requisitos e final após a entrega do produto, e tem demonstrado uma melhor capacidade de entrega de projetos de software com sucesso. Veja abaixo o modelo Waterfall: O propósito do desenvolvimento iterativo esta em permitir um processo mais flexível a mudanças de escopo durante o processo de desenvolvimento do produto reduzindo desta forma os riscos de falha no projeto de desenvolvimento de software. Para vinalizar veja o vídeo abaixo uma pequena explicação sobre este conceito: É isso pessoal, essa é apenas uma pequena introdução ao assunto que pretendo abordar aqui no blog todas as terças-feiras, até a próxima.

Melhorando o desempenho de seu banco de dados do Opencart!

03/09/2013
Saiba como você pode de forma simples aumentar o desempenho de sua loja Opencart com alguns pequenos ajustes no banco de dados. Oi pessoal tudo bom? Hoje é terça-feira, dia de colocar a mão na massa, ou melhor, no código aqui no blog e como ultimamente tenho falado bastante do Opencart, hoje vou continuar no assunto, mas antes leia alguns dos posts que já fiz sobre a plataforma. Tags x Meta-tags no Opencart em 3 minutos! 4 plugins para Opencart indispensáveis! 5 coisas que você não sabia sobre o Opencart O problema com o banco de dados do Opencart Nesse período de mais de dois anos que venho trabalhando diariamente com o Opencart, consegui conhecer algumas de suas vantagens e desvantagens e posso dizer com tranquilidade que um dos maiores problemas da plataforma esta em seu banco de dados, porém esse problema pode ser minimizado aplicando algumas pequenas alterações no banco. Vamos a elas? Índices, sim eles existem Por incrível que pareça o pessoal que desenvolveu o Opencart não teve muita preocupação com a criação de índices a grande maioria das tabelas possui apenas um único em indice que contempla apenas a chave primária. Quem já lidou com grandes bancos de dados sabe da importância desta prática e o quanto ela reduz o tempo das consultas. Você pode criar índices em todas as tabelas do banco de dados, mas vou listar aqui as que julgo mais importante e o comando para você criar os índices: Tabela de Produtos (product) #Indice para fabricantes CREATE INDEX manufacturer ON `oc_product` (`manufacturer_id`) #Indice para status de estoque CREATE INDEX stock_status ON `oc_product` (`stock_status_id`) #Indice para o status CREATE INDEX status ON `oc_product` (`status`) Tabela de Pedidos (order) #Indice para loja CREATE INDEX store ON `oc_order` (`store_id`) #indice para cliente CREATE INDEX customer ON `oc_order` (`customer_id`) Chaves estrangeiras, elas podem ajudar Outra boa prática é a criação de chaves estrangeira e que tenham remoção de dados em cascata, desta forma se você remover um produto diretamente no banco todas os dados vinculados ao produto em outras tabelas serão também removidos. Esse é um processo longo e um pouco mais complexo pois envolve mexer em diversas tabelas, no caso de produto são 16 tabelas vinculadas, mas pode ter certeza que o esforço vai valer a pena, pois sua base de dados vai ficar sempre homogênea. Veja abaixo o exemplo da criação da chave na tabela product_to_category que é responsável por vincular os produtos as categorias do sistema. O primeiro passo é alteras as tabelas envolvidas pra o tipo Innodb: ALTER TABLE `product` ENGINE=InnoDB ALTER TABLE `product_to_category` ENGINE=InnoDB #cria a chave estrangeira com a tabela produto ALTER TABLE `oc_product_to_category` ADD CONSTRAINT `product_id` FOREIGN KEY ( `product_id` ) REFERENCES `oc_product` ( `product_id` ) ON DELETE CASCADE ON UPDATE CASCADE ; Não altere o banco! Por fim a última dica que eu tenho sobre melhorar o desempenho do banco de dados é: não altere o banco de dados e sobre alterar estou falando em criar campos, renomear colunas etc…

Conheça o Hello e nunca mais perca nenhum contato!

02/09/2013
Saiba como esse aplicativo vai aumentar sua produtividade na organização de contatos e manutenção do histórico de reuniões Bom dia pessoal, como foi o fim de semana? Espero que muito bem, como vocês sabem segunda-feira é dia de trazer dicas de produtividade aqui no blog. Se você não acompanhou os últimos posts não perca: Aumente sua produtividade com Alfred no Mac Descubra onde você gasta seu tempo com RescueTime Mas vamos a dica do dia: O problema… Todas as semanas fazemos diversas reuniões, conhecemos pessoas e discutimos diversos assuntos, porém, não raro é comum encontrarmos depois de algum tempo um “bolo” de cartões de visita na mesa ou na gaveta, sem conseguir ligar mais o nome a pessoa. Até pior do que isso é quando em uma segunda reunião você não se lembra o nome de alguém ou o assunto discutido ou até quando você conheceu a pessoa. A solução… Para resolver esse problema o pessoal que criou o Evernote, um dos mais famosos softwares de produtividade desenvolveu um aplicativo chamado Hello que permite a você apenas tirar uma foto do cartão de visita e o App identifica todos os dados e te permite criar um contato diretamente na sua agenda além de permitir que você descreva quando, onde e como conheceu aquele contato. Outro ponto muito interessante do aplicativo é já integrar com o Linkedin e Facebook permitindo que você já se conecte ao perfil do novo conhecido, tudo em poucos toques e da forma mais simples possível. Ah, todos os seus dados vão para nuvem em sua conta Evernote que fica acessível em todas as plataformas. Ficou curioso? Assista o vídeo sobre o aplicativo abaixo: O Hello pode ser baixado gratuitamente na AppStore e no Android MarketPlace. Bom por hoje é isso pessoal, espero que a dica ajude vocês a não perder mais nenhum contato, até amanhã!

Tags x Meta-tags no Opencart em 3 minutos!

30/08/2013
Saiba como utilizar as Tags e as Meta-tags de forma correta para melhorar o desempenho de sua loja. Bom dia pessoal, hoje é sexta feira, dia de falar sobre dicas de usabilidade, seo e interface aqui no blog, e dessa vez quero falar em 3 minutos de um tema simples e que diversas vezes se torna um ponto de confusão para administradores de lojas que utilizam a plataforma Opencart, trata-se do uso de Tags e de Meta-tags.  Tags x Meta-tags As meta-tags Apesar de gerar alguma dúvida essa é uma questão muito simples, as meta-tags são palavras que definem o conteúdo da página e que serão utilizadas pelos buscadores (Google, Bing) para indexar o seu site, ou seja quanto mais descritivas melhor. Veja a definição do W3c para as meta-tags: The <meta> tag provides metadata about the HTML document. Metadata will not be displayed on the page, but will be machine parsable. Ou seja é um conteúdo destinado a leitura por máquinas e não aparecerá no conteúdo da página, desta forma preocupações com formatação e etc são desnecessárias, sendo o foco principal a contextualização do conteúdo. As tags do Opencart Talvez o ponto principal de dúvida seja o nome adotado pelo Opencart, pois as tags do sistema nada mais são do que uma taxonomia que agrupa produtos que tenha alguma relação, por exemplo: Você possui uma loja de roupas, em quer exibir produtos relacionados ao inverno, ao invés de criar uma categoria Inverno você simplesmente utiliza uma TAG com o nome inverno em todos os produtos que tem relação com esta tag. Desta forma todos os produtos serão agrupados em uma url própria, e o link para as tags que o produto participa será exibido no rodapé da página de produto, de forma similar ao que ocorre no sistema WordPress. É isso simples e fácil, meta-tags buscador, tags agrupamento, e você aproveita melhor sua loja Opencart, até sexta que vem com mais dicas de usabilidade e SEO.

5 coisas que você não sabia sobre o Opencart

29/08/2013
Conheça um pouco mais sobre o Opencart, plataforma de comércio eletrônico que não para de crescer Olá leitores, depois de um longo inverno, estou de volta ao blog e com força total e para começar quero trazer pra vocês um texto rápido com 5 coisas que você provavelmente não sabe sobre o Opencart, minha plataforma de e-commerce favorita. Mas antes leia algumas dicas que já trouxe aqui no blog sobre o Opencart: 4 plugins para Opencart indispensáveis Como criar um módulo para Opencart? Como funciona o VQMOD  do Opencart? Vamos as curiosidades? Você pode apagar os produtos da sua loja Opencart, Muita gente tem dúvida sobre apagar ou não produtos de sua loja virtual com receio que seja perdida a referência para pedidos antigos e que envolvam tais produtos. Keep Calm! O Opencart salva praticamente todos os dados do produto e do cliente na tabela order que é destinada ao armazenamento de pedidos, desta forma mesmo que o produto seja removido a referência não é perdida. É possível atualizar o sistema sem grandes problemas, Outro mito esta na possibilidade de atualização do sistema, apesar do opencart não possuir uma forma de atualização simples como o WordPress a ferramenta pode sim ser atualizada sem grandes impactos, desde que o desenvolvedor tenha tido o cuidado de não mexer em arquivos do core do sistema e também não tenha alterado tabelas do sistema. Para aprender a alterar o sistema sem “quebrar” o core veja esse post aqui sobre o VQmod. O sistema praticamente não atualiza dados no banco (No UPDATE), Não sei o que aconteceu com o pessoal que desenvolveu o sistema mas parece que eles não conheciam o comando update do SQL. Praticamente todas as atualizações de dados do sistema passam por remover o conteúdo e inserir novamente, isso vale para produtos, endereços, etc… Bizarro Dá pra melhorar performance, Eu gosto muito do Opencart, mas ele não é muito legal com os servidores, claro, nada que se compare com o Magento que é um elefante, mas a falta de updates e uma modelagem de dados muito digamos discutível, tornam o sistema um pouco exigente em questões de hardware. Uma boa forma de melhorar isso é realizar um tunning em seu banco de dados, criando índices e tomando cuidado com a quantidade de atributos, categorias e opções de produtos. Não existem chaves estrangeiras Por incrível que pareça o banco de dados do Opencart não possui chaves estrangeiras ou seja se você apagar um dado diretamente no banco de dados, coisa que desenvolvedor adora fazer, você provavelmente vai ficar com vários dados “sobrando” no banco. Um exemplo, se você apagar um produto, o banco não irá remover suas referências de categoria, atributos e etc… Solução para isso: ou você nunca apaga nada direto no banco de dados, ou investe um tempo criando todos os relacionamentos do banco É isso essas são algumas curiosidades do sistema, lembrando que elas valem para a versão 1.5.1 do Opencart, em versões mais recentes isso pode ter mudado, ou

Instalando Zend Server no Mac Os

24/07/2013
Saiba como instalar o Zend Server 6 no Mac Os Mavericks Pessoal, a dica de hoje é bem direta e vem em vídeo, é um simples vídeo-tutorial sobre como instalar e ativar o Zend Server 6 no Os X Mavericks, como eu não uso o Zend Server não tenho muito o que falar dele, apenas que a instalação foi simples e que ele utiliza agora como webserver o Ngix que é extremente rápido!!! Nos próximos dias vou fazer alguns testes com ele e se valer a pena coloco aqui para vocês quais foram as minhas impressões… Com certeza a galera do Zend Framework vai gostar do Zend Server… Até a próxima!

Validação de formulários com Jquery, uma abordagem simples… | Parte 2

23/07/2013
Confira um exemplo de implementação de validação de formulário simples com html, css e jQuery. Oi pessoal, semana passada publiquei aqui no blog a primeira parte deste tutorial sobre a validação de formulários utilizando html, css e jQuery. Como eu expliquei na semana passada utilizo uma lógica simples baseada em 3 princípios: As mensagens de erro são inclusas no html e ocultas via css Quando algum critério não é atendido o contador de erros é aumentado em um e a mensagem é exibida Caso não exista nenhum erro o formulário é postado O arquivo CSS Em nosso arquivo css temos o estilo das mensagens de erro que serão exibidas em vermelho abaixo dos inputs. Confira o código abaixo: O arquivo JS O arquivo JS é responsável por controlar o fluxo da aplicação e possui uma lógica bem simples que segue o fluxo: Inicia o contador de erros em zero Valida se o nome esta vazio Valida se o email esta vazio Valida se a senha esta vazia Valida se a senha confere com a confirmação de senha Caso qualquer validação esteja incorreta aumenta 1 no contador de erros Caso o contador de erros seja igual a zero posta o formulario Para validar e invalidar campos utiliza as funções setValid e setInvalid que você pode ver abaixo As funções setValid e setInvalid São as funções responsáveis por alterar os inputs para verde ou vermelho de acordo com a situação do input. Veja as funções abaixo: É isso pessoal espero que tenha ficado clara a mecânica para validação de formulários com jQuery e CSS. Essa base pode ser utilizada para quase qualquer situação, adicionando novas validações como formatos de CPF, Email etc, até validações de back-end que utilizam o Ajax do Jquery, mas isso é assunto para os próximos posts…  

Validação de formulários com Jquery, uma abordagem simples… | Parte 1

16/07/2013
Saiba mais sobre Validação de formulários de uma forma simples e elegante sem complicar seu código. Bom dia pessoal, hoje é terça-feira dia de falar de código aqui no blog e colocar a mão na massa, hoje vou  abordar um assunto que apesar de ser básico no desenvolvimento web: Validação de formulários,porém ainda gera muitas dúvidas e dor de cabeça para os desenvolvedores, principalmente os iniciantes, a validação de dados em formulários. Nesses mais de 10 anos na área já vi todo tipo de validação, com JS, no Backend, Híbrida e feita das formas mais entranhas possíveis. Bom, depois de penar bastante com esse assunto consegui definir um padrão para o meu desenvolvimento que facilitou muito a minha vida, o modelo é baseado em Jquery, Html e css puros e se necessário alguma validação de banco de dados utilizo um script de back end. A construção do HTML Como minha Validação de formulários é baseada apenas em HTML, Js e Css, o primeiro passo é a construção do html, nesse exemplo do artigo vamos construir um formulário bem simples para cadastro de nome, cpf, e-mail e senha com um campo para confirmação da senha, veja o exemplo de construção do html abaixo:   Como você pode ver no exemplo acima, cada campo é composto de 3 elementos a label ou nome do campo, o campo efetivamente através do elemento input e uma mensagem de erro que é inserida dentro do elemento span. A lógica de validação A lógica para validação exibição de erros e efetiva postagem dos dados seguem algumas premissas simples: O texto das mensagens de erro constantes nos elementos SPAN com a class erro são ocultas inicialmente Quando algum critério de validação não é respeitado a mensagem é exibida Caso não exista nenhum erro o formulário é postado Esses são o 3 princípios utilizados nessa validação, no próximo artigo vou trazer para vocês o exemplo do css e do script Jquery responsável pela validação. Até a próxima!

Leaf, o meu substituto para o Reeader

15/07/2013
Bom dia pessoal, segunda feira, dia de trazer dicas de software aqui no blog. Quem me conhece sabe que sou um grande fã da tecnologia RSS, e confesso que nos últimos anos essa foi a minha forma preferida de consumir notícias, mais especificamente utilizando o aplicativo Reeader, que não vou nem linkar aqui, integrado ao Google Reader. Porém como vocês sabe o Google com toda a sua “sabedoria” resolveu matar o Google Reader no mês passado e acabou me deixando na mão assim como milhares de usuários, pra melhorar um pouco o Reeder meu client preferido e que eu já havia comprado no Mac no Ipad e no Iphone, não vai ser corrigido 😐 Bom esse cenário, me fez buscar novas opções para continuar lendo os feeds dos meus sites preferidos, e nessa busca, testando algumas opções optei pelo Leaf. Simples e direto O Leaf é um leitor simples se comparado ao Reeder porém extremamente bem desenhado e focado no que interessa, consumir conteúdo. Como destaques do Leaf coloco além do design, a integração com o sistema de notificações do OSx, o que facilita o acompanhamento dos feeds além da abertura direta de arquivos de RSS. O Aplicativo ainda conta com algumas opções de compartilhamento integradas ao sistema e que facilitam a vida. Veja no vídeo abaixo um pouco mais sobre o funcionamento do Leaf: No geral o Leaf consegue atender ao que se propõe mas ainda esta longe do conforto que era proporcionado pela dupla anterior, em todo caso passou a ser minha opção. E você fã de RSS o que fez com a morte do Google Reader?

Sublime Text 3, primeiras impressões.

12/07/2013
Conheça algumas das novidades da versão 3 do Sublime Text, o melhor editor de código já criado, eu testei e gostei, mas ainda não é hora de migrar Bom dia pessoal, como vocês já sabem eu sou um grande fã do Sublime Text, editor de texto que na minha opinião é a melhor opção existente para profissionais que trabalham com desenvolvimento para web, e depois de muito tempo foi lançada a versão 3 do editor e que ainda esta em beta, porém bem estável e com algumas novidades que vou destacar abaixo… Auto-completar Muitos comportamentos que antes eram possíveis apenas através do Emmet, agora se tornaram nativos do editor, veja no vídeo abaixo alguns exemplos na prática em um arquivo html.   Novo sistema de auto update para Windows  Pra quem utiliza o editor no Windows agora essa versão conta com o mesmo auto-updater que já era disponibilizado na versão para OSX Aumento da velocidade Quem já conhece o Sublime, sabe que o seu ponto forte esta justamente na velocidade, e mesmo assim a nova versão consegue ser ainda mais rápida mesmo na utilização de múltiplos painéis como você pode ver no exemplo abaixo:   Além disso foram implementadas dezenas de melhorias além da disponibilização da API em Python que permite aos desenvolvedores criar dezenas de plugins Package Manager Porém quem utiliza o Sublime sabe que boa parte de seu poder de fogo está no package manager e em sua centenas de plugins e como não poderia ser diferente o Sublime Text 3 já possui o seu package manager, porém a versão é ALPHA e a instalação nada simples como você pode verificar aqui http://wbond.net/sublime_packages/package_control/installation#ST3 Resumo da Ópera O SublimeText 3 vai manter toda a simplicidade que tornou o editor uma ferramenta indispensável, porém ainda não é hora do Upgrade, com a incompatibilidade de pacotes de problemas ainda existentes no package manager recomendo esperar a versão final para começar a pensar em atualizar Até a próxima!

Você sabe o que é o 4 de Julho?

04/07/2013
Saiba o que significa o 4 de julho, essa data tão importante para os americanos Bom dia leitores, hoje quero trazer um pouco de história aqui no blog, afinal hoje é 4 de julho, feriado nos Estados Unidos e uma das data mais comemorados na maior potência do mundo. O 4 de julho de já deu nome e inspirou diversos filmes, veja a lista abaixo que foi divulgada pela Readers Digest: 1. The Patriot 2. Born on the Fourth of July 3. The Devil’s Disciple 4. John Adams 5. Drums Along the Mohawk 6. Johnny Tremain 7. The Crossing 8. John Paul Jones 9. 1776 Fonte:  http://www.rd.com/advice/top-9-movies-featuring-the-4th-of-july/#ixzz2Y5McL5cV Mas afinal o que é o 4 de julho? Em 4 de julho de de 1776 foi declarada a independência dos Estados Unidos da América que na época era formado por 13 colônias pertencentes ao Reino Unido (Inglaterra), e a partir desse momento surgiu o país que viria a liderar o mundo nos séculos seguintes e se tornar a potência que é hoje em dia. A algum tempo atrás o canal History Channel  exibiu duas séries de documentários que ilustram bem como esse processo aconteceu e como o país conseguiu se transformar no que é hoje, a primeira é America: The story of us e a segunda é a The men who build the America, apresentada no Brasil como gigantes da indústria :s Ambas valem muito a pena para quem quer conhecer um pouco mais sobre a história dos estados unidos e podem ser facilmente encontradas na internet, veja abaixo alguns vídeos das séries. É isso essa é minha pequena homenagem a nação que moveu o mundo nos últimos séculos e que hoje esta em festa, até a próxima.
Load more